Ter fome de se sentir vazio
de um vazio cheio de sentido

Ter coragem de adimitir o medo
o medo de nunca ter coragem

Ter sede dos desertos
desertos que saciam a alma

Chorar a falsa felicidade
Felicidade que nos entristece

Se enriquecer de pobreza
pobreza que nos enche de glória

Encher-nos de silêncio
silêncio que sempre nos fala mais

Esvaziarmos-nos da plenitude
essa plenitude de nada

Para ver se vemos
nesse escuro insólito
Para ver se descansamos
nesse fatigoso dia
e se retornamos
nessa estrada de mão única - vida -


2 Comments

☆Anjo☆ disse...

Oi Jônatas! Amei a poesia!
O "vazio" tem sido tema das suas poesias, né! Palavras lindas sobre o nada...

Te indiquei a um Top 10, passa lá no meu blog e confere! Beijinhos pra vc, obrigado por suas visitas queridas. bye

Jônatas R. Santos 13º disse...

passo sim!!!!! Brigado anjinho lindo!
vc acredita q eh meio sem querer.....