Me parece a cada dia
que por mais que eu não queira
existem coisas que já nascem decididas
como encontros e despedidas

E por mais que as madrugadas
testemunhem o esforço repetido
fica sempre mais uma vez decidido

E nem adianta tentar reverter
A sina continua e o melhor é fingir
Assim a gente se tem em mentiras verdadeiras
que so se tornam mentiras nas horas derradeiras
Em que não podemos esconder nossas diferenças
Em que encaramos a verdade com a dureza devida
E com suspiros "dureza de vida..."

Não sou teu, nunca serei
sou tão seu, como errei...

Estar com você
é poder ter por instantes efêmeros
seu olhar

E as madrugadas registram no tempo
uma história que nem deveria ter começado
e agora teima em não acabar
Também você tinha que se tão você
e eu? Porque teria a chave de seu ser?

As madrugadas eternizam aquilo
que nunca deveria ter acontecido
e eu sei que essas ruas nunca mais serão as mesmas
nem as praças, prédios, carros...
são testemunhas...

Encontros-despedidas
Foi assim, e é assim que tem de ser...



somos mal interpretados, não temos uma boa reputação, não buscamos aprovação, não concordamos com o mal, não retemos o bem, somos muito amados por uns e uma eterna interrogação para muitos, somos confusos para alguns, somos daqueles que se constragem com o amor, respeitamos todas as opiniões, temos certeza da verdade, não marcamos hora, não temos horário de chegar, somos poucos, mas, sempre estamos por ai, e que nos desculpem aqueles que acham que na voz da maioria está a razão.



O que sobe de dentro
sim! de dentro de mim
são pulsões fortes, incontroláveis
incontadas
O que sobe de dentro de mim
é pavor, horror
de uma alma despedaçada

Na mente reflexos
do que o exterior não pode entender
só vislumbra em escombros, chagas
tragédias, epidemia
Na mente incógnita
caos, desordem
são o que se fazem de guia

A alma pressente o fim
senti o fim, finda
na desesperançosa esperança
de cessar sua dor
A alma confunde todas as coisas
não sabe mais de si mesma
achando que amor é rancor

O que sobe de dentro de mim
é um fogo que consome
é a morte, é a vida
é recomeço, é despedida
é a chance de salvar de novo
minha alma que vagava perdida



Aguardamos sempre dos outros sorrisos, aguardamos sempre as melhores respostas, aguardamos sempre um olhar compassivo, que aceitem nossas desculpas, não temos por hábito duvidar, acreditamos sempre, é quase improvável que não gostemos de alguém, reputamos a todos como pessoas dignas, somos confundidos com enganadores, temos um bom trato com todos, não distinguimos diferenças... somos assim, e desculpem-nos pelo que vocês chamam de ingenuidade e nós de sabedoria.



São diferentes formas
que formam uma canção
de um mundo tão igual
igualdade solidão

São diferentes credos
que criam um pesadelo
de uma igualdade desigual
inigualavel zelo

São diferentes desejos
que desenham um sonho lindo
de formas tão formais
fortalezas esculpindo

São diferentes mistérios
que nos falam sobre a morte
enigmas enigmáticos
de inestimavel porte

E são coisas abstratas
que explicam nossa vida
Em voltas me vejo voltando
em um caminho só de ida



Se estou com raiva
pelo menos estou vivo
Se me iro facilmente
estou em dias vingativos

Dias de distúrbios
tempos infernais
A cada minuto que passa
me machuco mais e mais

Feridas, lepras
chagas, cânceres incuráveis
formados em minha alma
dores insuportáveis

Vingar não é remédio
vingar é suicídio
Então acheia a solução
Inventar um homicídio

Então usarei sua técnica
simplesmente te irar
você é cabeça quente
então tente me matar

Vingança é suicídio "meu amor"
Vingar é se matar


essa foge um pouco das que normalmente coloco aqui, mas é uma homenagem.



Eu reconheço meus erros
Eu sei eles são muitos!
Realmente sou confuso
e falo demais
e continuo a errar...

mas, o que importa?
mas, o que realmente importa?

O que mais quero é que você se encontre
o que mais quero é que se ache dentro si
que se veja, sem máscaras
que encare seus medos
que veja seus defeitos
e que veja que você é especial

Quanto a mim meu amor
nunca se preocupe comigo
o caminho que ELE tem pra mim
somente eu e ELE sabemos
mesmo que eu não me ache - eu ja não temo a nada
mesmo que eu te perca - eu sempre vou te ter

Um dia, espero que não seja tarde
você encontrará tambem um sentido pra vida
espero que ache "O Sentido" da vida
se ainda não me entendes, espero que um dia me entenda

Quanto a mim, continuo a caminhar
mesmo que não totalmente no caminho
espero que um dia eu ande nesse caminho
e se não, espero uma dia saber
que sempre estive nele

Se não sei muito sobre as coisas
de uma sempre terei certeza
Tudo que se faz por amor e com amor
disso nunca se arrepende um sincero coração.



Rua de pedrinhas
Tão pequenas aqui do alto
Conto uma a uma
e já estou no meio da rua

Passam pessoas, carros, neblinas
Passa o tempo, passa a vida
Pasa o passo
Só tu não passa

Atrás de mim a festa
Em volta tudo, embaixo a rua
Longe vagando, voando
me sinto

A conversa passa
e não faz efeito
a palavra e o silêncio
em dueto

O sorriso me surge
não consigo mais contar as pedrinhas
Se fundiram num cinza
Quanto mais longe mais eram "um"
O sorriso se vai
fica a lembrança
se vão as palavras
fica a esperança
não sei mais o que é
guardo a fé



Já não sei escrever
cartas de amor
Pois tudo que escrevo
são pedaços de mim mesmo
desmontados e refeitos
em segundos, em momentos

Nunca soube escrever
cartas de amor
Pois sempre escrevi
coisas de mim mesmo
coisas do meu inteiro
que redescubro a cada dia
em meus pedaços incompletos

Faz tanto tempo que não amo
com o amor que um dia tive
E o tenho na verdade
em um pedaço que perdi
Mas ainda em pouco tempo
o acharei dentro de mim



Meus pensamentos
Vão descendo, escoando
e se perdendo
Desaparecendo

Minhas memórias, eu sei
Já não são da realidade
um retrato fiel
São montagens e colagens
que me aliviam e me colocam
no meu imaginativo céu

Tudo é areia movediça e vendaval
Tempestade de areia e também no copo d'água
Que nos transtornam e nos sugam
Que nos envaidecem e nos pertubam

São esconderijos de madeira
e fortalezas de pedra
Que fazem dos momentos felizes ínfimos
e da tristeza eterna

Então me perco
Ou quem se perde é o pensamento?
Não sei!
Eu sou ele e ele sou eu
em vários momentos

Me acho num pedaço de memória
Não sei se é verdade
ou uma montagem ilusória

E é assim meu dia-a-dia
assim é minha história
Do passado um pensamento
Do futuro uma memória