Me parece a cada dia
que por mais que eu não queira
existem coisas que já nascem decididas
como encontros e despedidas

E por mais que as madrugadas
testemunhem o esforço repetido
fica sempre mais uma vez decidido

E nem adianta tentar reverter
A sina continua e o melhor é fingir
Assim a gente se tem em mentiras verdadeiras
que so se tornam mentiras nas horas derradeiras
Em que não podemos esconder nossas diferenças
Em que encaramos a verdade com a dureza devida
E com suspiros "dureza de vida..."

Não sou teu, nunca serei
sou tão seu, como errei...

Estar com você
é poder ter por instantes efêmeros
seu olhar

E as madrugadas registram no tempo
uma história que nem deveria ter começado
e agora teima em não acabar
Também você tinha que se tão você
e eu? Porque teria a chave de seu ser?

As madrugadas eternizam aquilo
que nunca deveria ter acontecido
e eu sei que essas ruas nunca mais serão as mesmas
nem as praças, prédios, carros...
são testemunhas...

Encontros-despedidas
Foi assim, e é assim que tem de ser...


3 Comments

Thiago Mendes disse...

sister sin ! rs

☆Anjo☆ disse...

Oi Jônatas, linda poesia!!Maravilhosa!
"...que por mais que eu não queira
existem coisas que já nascem decididas
como encontros e despedidas..." Tem tudo haver comigo essa parte, me sinto como se... por mais que eu tente não alcanço... Parece que não é pra ser!!

O amor têm dessas coisas...
Passando pra te desejar um ótimo feriadão! Postei poesia nova, depois passa lá e confere!!!! UM BEIJAUMMMM pra ti bye bye e obrigado pelos comentários carinhosos... ando precisando!!!!

Jônatas R. Santos 13º disse...

Anjinho, que prazer te ter aki... te desejo muitos encontros... e despedidas sinceras...bjão! Vou passar la p ler!