Que saibam todos
que só existe o hoje-agora
Que não existe o "se"
ou mesmo o "outrora"

Que saibam todos
a apreciar sua própria história
Sem desalento de um passado impossível
sem auto-tortura da memória

Como se fosse possível
alterar o que passado foi
Olhando para trás
com a decadente ilusão
que a mudança do que jaz
seria saída e solução
para o presente-futuro que se escancara
com a formidável possibilidade de reformulação

Hoje desconheço
o sentimento de quem se afoga no passado
Nas águas que já passaram
e não têem mais poder de matar

Seria necessário que todos soubessem
mas não creio que saberão
que é pelo que já passaram
que hoje são o que são

E ao invés de amargura
fizessem uma releitura
de tudo que se passou na vida
e tirassem proveito
não só dos encontros
mas também das despedidas
não só das alegrias
mas também das agonias

Que saibam todos
que o "se " é o engodo
a mais atraente armadilha
é deserto
é solitária ilha

E que isso vire grito
que vire clamor nas mais altas montanhas
nos abismos mais íntimos de cada ser
Que vire pilar , coluna
de um novo dia que começa a nascer

O dia chamado Hoje
nossa única chance de mudança
O dia eterno que nunca acaba
O dia chamado Hoje.
Hoje.


6 Comments

☆Anjo☆ disse...

Oi Jônatas! Que lindo poema, adorei essa parte:"Que saibam todos
que o "se " é o engodo
a mais atraente armadilha
é deserto
é solitária ilha..."
Viver o hoje é nossa meta, sem medos e com amor...
Ótimo início de semana pra vc! Beijinhos... Passa lá no meu blog e confere a continuação do Conto! Bye bye

☆Anjo☆ disse...

Oiiiiii, passando pra dizer que postei o final do Conto! Passa lá e confere, depois me diz o que achou! Beijaummmmm bye

Francisco Jamess disse...

Eu acho que só há um problema com você - e muitas outras pessoas do mundo - deixar de acreditar no mentiroso (religião), mas continuar acreditando na mentira (Deus). Você ou qualquer outra pessoa da Terra, nascida hoje, não teria qualquer noção de uma divindade, se não fosse a teologia, a sociologia e toda a história da humanidade anterior a nós. Eu acho Deus uma besteira, e nem por isso deixo de admirar o universo ou qualquer outra coisa ao meu redor, só por essas coisas não serem perfeitamente criadas ou regidas ou sondadas por um deus em particular.

Meu blog, o personagem, questiona o Deus cristão, basicamente o Deus cristão do antigo testamento, aquele que matou a humanidade inteira, e alguns povos aleatórios por não o respeitarem. Basicamente, um déspota. Estou questionando aqui a autoridade da Igreja Católica Romana, que foi autora, através da história, de mais barbaridades que todas as guerras mundiais juntas. Guerras aliás, que hoje e ontem, em sua maioria, foram inspiradas pelo Deus de um povo brigando com o Deus de outro povo.

Uma idéia inútil fazendo um povo defendê-la e matar outros povos com outras idéias inutéis. Eu não gosto da autoridade da Igreja, e muito menos da autoridade do Deus do antigo testamento, que a Igreja adora usar para matar os outros.

É ESSE Deus e ESSA idéia dominante na sociedade que eu questiono nesse blog. Eu sou sim rancoroso com relação a essa idéia assassina da liberdade e dominadora de mentes. Descarrego todo o meu rancor a respeito dessa idéia nessas minhas questões e nesses meus rabiscos mal-desenhados porque não tenho uma sniper para atirar no Papa.

Respeito qualquer pessoa que tenha uma idéia não teológica de um Deus ou de uma energia organizadora do universo, mas, juro, essas são raríssimas, e se você for uma, vai entender o que estou dizendo.

Abraço, e obrigado pelo comentário.

Francisco Jamess disse...

E me desculpe se me exaltei no começo do comentário.

Valeu.

Francisco Jamess disse...

Primeiramente eu queria saber em QUE deus você acredita, ou, se não for o nenhum deus nomeável, que IDÉIA você tem de um DEUS SUPREMO.

Em segundo lugar, eu discordo do fato de que onde há humanos, há um Deus criado, pois muitos povos que vivem isolados da globalização acreditam na natureza, nos espíritos das árvores, dos ventos, das águas, dos trovões. Isso, basicamente, é a origem de qualquer religião, mas acontece que, nesse momento de proto-religião, não há um DEUS SUPREMO, um ser que rege tudo e que é superior aos animais humanos. Existe sim a noção da NATUREZA, que castiga com tempestades, mas que também dá os frutos e a carne ao povo. Essa noção não é noção de DIVINDADE, é só uma noção de UNIVERSO, do quão pequenos somos diante de uma floresta ou do planeta em si, e qualquer animal, por menos evoluído que seja seu encéfalo, tem essa noção da natureza ao seu redor.

A criação de um DEUS SUPERIOR só acontece com os seres humanos porque nossa capacidade de abstração é maior, teoricamente, que a dos outros animais, e essa abstração é tão grande que chega a negar todas as coisas físicas e criar algo intangível, invisível e insondável, tornando esse SER INEFÁVEL mais importante que o amor físico ou qualquer outro deleite simples.

E eu acho que nenhum deus já criado fez mais BEM que MAL à sua sociedade criadora.

Se você acredita que haja um DEUS que seja tudo; que se manifeste nos humanos e na natureza em si, eu entendo seu ponto de vista, mas acho que isso é simplificar, ou melhor, dar os méritos do universo, da Terra, e dos homens, a uma criatura sem nome que ninguém nunca viu, e que, no caso de um panteísmo, pode ser traduzido em outras palavras como amor e energia.

Abraço

☆Anjo☆ disse...

Oi Jônatas, passando pra desejar um ótimo final de semana pra ti... Tem postagem nova no blog! Beijinhos bye