Eu não sei morrer
não me ensinaram
disseram que não!

Eu não sei desistir
me proibiram
disseram que não

Eu não sei perder
nunca permitiram
gritaram que não

Cresci menino
abestalhado
e cheio de nãos

Envelheci infantil
queria todos os sins
Não entendia o nãos

Eu era o único
um clone especial
retrato de uma geração

Se eu fosse infeliz
entrava em agonia
suprema depressão

Eu não sabia ver
a verdade da vida
eu dizia que não

Até que morri
desisti
perdi
Vi
e ouvi
um sonoro NÃO








One Comment

Albert Drummond disse...

Que Fodão....

Uma bela crítica à nossa geração de pequenos deuses imperfeitos.