sempre tão distraido
por entre as ruas andei
não vejo carros e rostos
percebo só o que eu não sei

sempre dormindo acordado
por entre asfalto e dor
a multidão vai passando
são como clones, são robôs

sentindo sempre a pequenez
de ser mais um cidadão
num emaranhado de gente
que parecem sem alma, sem coração

ao mesmo tempo me brota sempre
uma estranha percepção
de múltiplos universos contidos
em cada olhar, em cada visão

para onde vou
para onde estou indo
para onde vai a multidão?
nesse caos organizado
pedra, concreto e coração
para onde eu vou tão distraido
que não percebo quem sou?
me sinto parte da massa
a parte que mais tem sabor

a cidade anda apressada
e a pressa paralisa a cidade
parece uma boiada
fugindo de um caçador
sem guia, sem um pastor

e eu que ando tão distraído
sou sempre atropelado
por olhares que não olham
e pedidos dos pedintes
que hoje não mais imploram
só repetem a prece
nem eles mais importam
quem é a alma que se compadece
e repetem logo mais uma prece
"Deus te pague"
e ninguém mais agradece

Sou sempre atropelado
é que me prendo a detalhes
é que ando tão distraido
sofrendo de quem não sofre os males

a cidade anda apressada
e eu ando cada vez mais distraído
com sua pressa obstinada
de desejos de anjos caídos

a pressa aumenta
e a cidade continua parada
não são mais indivíduos
são uma grande massa

ninguém está a favor de ninguém
servem cada qual sua própria lei
e eu que vivo sem lei
anestesiado pela distração que aumenta
também não sirvo a ninguém

a cidade anda apressada
de desejos, suor e canseira
anda cada vez mais paralisada
pelo desejo que tanto deseja

e eu que ando tão distraído por fora
por dentro sou como a cidade
mas ando na contramão
me esvaziando da ansiedade
deixando pra trás a vaidade
pra ver se encontro o descanso
que tanto procura a cidade


One Comment

☆Anjo☆ disse...

Esse poema ficou maravilhoso!!!!!!!! Na correria do dia-a-dia nos distraímos com coisas a nossa volta, umas sem valor outras importantes, e no corre-corre das grandes cidades não paramos para enxergar o mundo... Essa parte me comoveu muito:
... "sou sempre atropelado
por olhares que não olham
e pedidos dos pedintes
que hoje não mais imploram
só repetem a prece
nem eles mais importam
quem é a alma que se compadece
e repetem logo mais uma prece
"Deus te pague"
e ninguém mais agradece"...
Um ótimo final de semana pra ti, muitos beijinhos, bye