Dói tanto o coração
tanto...
É tanto choro contido...
me assombra sua vazão

São lágrimas para anos
para uma vida inteira...
É tanto choro guardado
estancado...

Um lamento
para vida inteira
para toda humanidade

Queria chorar
o choro da existência
e que de tudo me esvaziasse
que eu fosse deixando de ser eu
perdendo minha identidade
fosse escoando-me pela minha face

Que descesse por todo o corpo
e que esse choro me lavasse
e choro por mim
por toda a humanidade
e que ao molhar o chão
alguma semente regasse
que fosse de paz essa flor
e que em meu coração
também germinasse

Tomara Deus
eu vire uma lenda
um mito sem genealogia
que meus olhos virem esse rio
espalhando essa magia

Que me afogue
nessas lágrimas
que minha perdição
seja minha vida
para que a vida que vivo agora
não esteja perdida

Mas no agora
eu volto e olho pra dentro
ansiando como uma grávida
o estouro deste rebento
foi para isso que sei que me fiz
para essa hora
para esse momento

Dói tanto
tanto ainda o coração
e esses olhos marejados
não refletem nem de longe o estado
nem parecem represar tão grande vazão


One Comment

§Anjo§ disse...

Olá Jônatas!! Amore andamos sumidos, né!? rs Amei o visual novo do seu blog... Que poesia forte... como sempre, vc escreve profundamente! Adoro...
Ando tão atarefada, mas sentindo uma falta enorme de postar mais e visitar com mais frequência os amigos blogueiros...
E sim, nesses tempos atuais,amigos sinceros andam escassos... Vale muito mesmo, beijos e abraços sinceros.
Obrigado pela visita... e não fiquemos sumidos de novo! rs
Beijos e abraços sinceros pra vc também...
Anita do diarios-do-anjo.blogspot.com