Meus olhos, estranho
andam me pregando peças
Logo eles em quem tanto confiava
me fazem mais essa

Minhas pernas, estranho
me levam para outros lugares
Logo elas que eram minha firmeza
me deixam perdido entre outros milhares

Minha boca, estranho
nem diz mais o que quero
nem sente mais o teu gosto
nem recebe o que espero (teu beijo)

Minhas mãos, estranho
não sabem mais o que pegam
Logo elas que pintaram e tocaram teu rosto
nem sentem os espinhos que a tempos carregam

Meu amor, quem diria
não sei se ainda o tenho
envelheceu prematuro, em poucos longos dias
nem guarda mais os desenhos
que a vida outrora ensina
nem sabe mais se é amor
lágrima que dos olhos rumina
que se confunde com dor
que se afoga em rancor


One Comment

☆Anjo☆ disse...

Jônatas! Lindo!!!!! Maravilhoso...
Beijaummmmmmmmmmmmmmm... bye