O céu escureceu
A água escoou
O fogo apagou

O cenário apareceu
Tão logo a fumaça abaixou
O cinza se mostrou

E o esquilo correndo
Para onde não sabia
Reflexo da vida que ia

A enchorrada descendo
Trazendo a cinza e o carvão
E um pedaço do meu coração

O que farei pra recuperar
A beleza do meu horizonte
O verde Musgo do Monte?

Mas nas semanas que sucederam
A primeira flor se abriu
E o céu radiante sorriu

E a paisagem que gosto tanto
Voltara a ser o que era
No fim da cidade essa Serra
Lembrança fraterna
Do paraiso que eu sei que me espera


3 Comments

Anônimo disse...

Muitas são as suas palavras todas belas... belas... , não por serem belas na superficie delas, mas por nelas haver a verdade que é bela.

Abraço.

Nathália Carvalho.

THIAGO disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Jônatas R. Santos 13º disse...

Obrigado lady Nathy!
....não, belas não...talvez e apenas singelas