Não
eu não espero uma mão
que me busque ao cair

Não
não espero

Detesto bajulação
prefiro o escarro
o cuspi, o catarro

Deixo as frases
idiotamente bonitas para
Caio F. Abreu

As músicas
de quem não quer crescer
com Nando Reis

Estou com pés em terra
e a terra está em decadência
constante

PAREM!
Não me chamem de pessimista
nem me deem qualquer outro título

Quando buracos se abrirem
casas ruírem
não houver a quem chamar

quando as vozes se calarem
as águas secarem
e teus filhos te matarem

quando o amor acabar
e tudo quanto antes esperava
morrer

Aí então
teu grito não passará de silêncio
e teu choro
sim teu choro estará para sempre embargado

Não
agora não espero nada

E minto pra mim nesse instante
ao dizer que nada espero


Se ao sair do serviço
tudo que eu queria
era te encontrar em casa








One Comment

lucas repetto disse...

(des)mentimo-nos durante toda a rotação dessa vida fatídica...